scrolling='no' 2011 | Tendências de marketing digital e redes sociais na Web 2.0

O Marketing Digital nas Plataformas de Redes Sociais

Novo Blog Mídias e Medias

domingo, 15 de maio de 2011

Agora o Marketing Digital e Novas Mídias é Mídias e Medias.

Acesse o novo blog: midiasemedias.com



Muitas novidades!!



Priscylla Duarte | Jornalista

Reformulando o Blog!

quarta-feira, 11 de maio de 2011




Olá Leitores,

Estamos em fase de reformulação do blog!

Aguardem muitas novidades a partir da próxima Segunda-Feira ( 16/05)


Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

O que faz um Comunicador Digital? - Uma profissão de futuro!

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Muita gente me pergunta o que eu faço e eu sempre explico da seguinte forma: Sou uma comunicadora que aplico a comunicação social tradicional no meio digital e web. E para os mais velhos eu falo que trabalho como jornalista de internet. Então se você, assim como eu, sempre tem que explicar à todos o que faz da vida, veja esse vídeo ( EXCELENTE) sobre a área de comunicação digital!

Profissão de Futuro e do Futuro, viu?





Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Geração Z - As crianças não são mais as mesmas de antigamente!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Geração Y - Educando os filhos Geração Z

Será que os nossos valores morais e sociais estão tão distorcidos ao ponto da vida do outro ser humano não valer mais nada? Será que é certo, colocar culpa no psicológico, em doenças mentais, na condição social ou na falta dela? Quando tragédias acontecem sempre nos perguntamos: Onde é que a sociedade vai parar? A pergunta correta é: Para onde é que a sociedade vai caminhar desse jeito.


As crianças brasileiras não têm mais direito de serem crianças. Logo cedo são erotizadas, onde os adultos acham bonito ver meninas com shortinhos ou mini-blusas dançando iguais as funkeiras, chegam a rir e pedir bis. Acham que essa atitude é normal e que as crianças de hoje em dia são assim mesmo. Não elas não são assim – nós as tornamos assim. Crianças são frutos da sociedade, quem é assim é a sociedade que martela que temos que achar normal crianças namorando nos shoppings, que temos que achar normal meninas com 6 anos de idade usando sutiãs com bojo, que temos que achar normal um menino de 5 anos de idade dizer que a mulher dele não vai sair para trabalhar, por que tem que fazer a comida dele, onde será que ele escutou isso para repetir? Gente, isso é muito sério. Estamos formando a sociedade do futuro, e que futuro o mundo terá com crianças precocemente ativas, sexualizadas e respondonas? Nenhum.

Imaginem-se daqui a 50 anos, provavelmente você terá 70 ou 80 anos e seus filhos já estarão adultos na faixa dos 50 anos, como vocês acham que eles irão se comportar diante da sua velhice? Provavelmente muito pior de como nós tratamos os nossos idosos, isso por que nós estamos ensinando a eles que a juventude, a beleza, a jovialidade é o que realmente importa, quando na verdade o que importa são os valores morais que estão sendo engolidos pela mídia que é feita para a sociedade e pela sociedade.

Nós temos a chance de criarmos pessoas dignas, capazes e solidárias. Mas para isso é necessário que deixemos elas serem crianças quando tem que serem crianças. Adolescentes quando tem que serem adolescentes e adultas quando chegarem à fase adulta. Não faz tanto tempo assim, há no máximo 15 anos atrás, uma menina de 10 anos ainda era uma menina de 10 anos, hoje uma criança de 10 anos é adolescente e uma menina de 8 anos é pré-adolescente, acho isso um absurdo! Digo isso por que tenho na família três meninas com as idades citadas, duas de 8 e uma de 10 anos elas já são precocemente estimuladas a não aceitarem mais serem chamadas de crianças. Mas como? Se elas ainda são. Eu sou do tempo, e olhe que tenho apenas 27 anos, sou do tempo que uma criança de 8 anos era praticamente um bebê inocente, vejo minhas fotos com essa idade e não consigo acreditar que tinha 8 anos, parecia bem menos, aos 10 anos eu ainda assistia TV Colosso e aos 12 anos a Fada Bela. Agora menina de 12 anos pensa em namorar, em ter filhos e em segundo lugar em estudar - e isso é normal? Se alguém acha essa atitude normal, significa dizer que realmente estamos no caminho errado. Desculpa-me: Eu que sou o E.T no planeta Terra, ou a sociedade é quem tá agindo da maneira mais fácil? - Quero voltar então para o mundo onde as coisas estão realmente certas.

Vamos rever nossos conceitos. Pois o tempo é agora, antes que nossos filhos realmente cresçam e tornem-se adultos infelizes e inseguros por que foram precocemente estimulados quando deveriam está brincando, estudando e interagindo com o mundo para que no futuro o mundo interaja com ele.

Segue duas frases de dois sábios senhores, deveríamos ESCUTAR os mais velhos, pois ao contrário do que pregam que os avós estragam os netos, os avós é quem sabe educá-los, fui criada pelos meus avós e sou perfeitamente normal, porém vejo filhos criados pelas televisões, que hoje tem exatamente a minha idade e são completamente fora da realidade - São crianções mesmo.
“Se você não se preocupa com o que o seu filho faz ou diz aos 03 anos de idade, pode se preparar que lá na frente você vai se preocupar”.

Frase do meu Avô Francisco:

“Criança não tem o que querer".

E a minha avó Jaci completa:

“Por que só quem pode querer algo é quem tem personalidade formada e a criança ainda está em formação.”

Ou seja, as crianças são condicionadas a algo, não é um QUERER, é uma condição imposta a elas, portanto, condicione as suas crianças a algo bom, que elas serão Nice People. Agora se condicioná-las a coisas erradas, com certeza elas serão adultos mal-intencionados.


Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

O perigo causado pelo Foursquare

segunda-feira, 25 de abril de 2011


Sei que a plataforma está em alta e é usada principalmente pela classe média e alta do Brasil, por isso mesmo a acho extremamente perigosa, uma vez que essas classes aqui citadas são mais predispostas a seqüestros e confesso: Ainda não encontrei uma utilidade concreta na ferramenta. Usuários mais antenados no Foursquare me expliquem qual é a real utilidade dele que não seja o fato de indicar a localização que o usuário se encontra? Por que isso para mim é totalmente dispensável.


Observo diariamente na minha TL (Time Line) empresários Natalenses, jornalistas e outros profissionais informando através de seus iPhones ou Blackberries onde eles se encontram naquele momento do dia; indicando exatamente o lugar onde se encontram naquele momento, coisas do tipo: Estou no Shopping Midway, estou na avenida Afonso Pena,estou no Banco do Brasil, estou sei lá mais onde, exatamente o que o Twitter se propunha a fazer em seus primórdios e que não teve muita utilidade, tanto que hoje em dia o mesmo é usado para outra coisas que não sejam informar o que se está fazendo, o Foursquare propõe exatamente o mesmo uso, porém com relação a coordenadas geográficas, alimentando a necessidade de onipresença que as pessoas tem.

Primeiramente me vem à cabeça: E isso importa em que? O que muda na vida de alguém o fato de saber onde outra pessoa está naquele momento? Qual a utilidade pública desse serviço? Na minha concepção só importa para informar às pessoas mal-intencionadas onde você se encontra e quem sabe ocasionar algo desagradável a vida de quem as informou, como por exemplo: um seqüestro relâmpago. Parece extremista, mas é muito fácil disso acontecer, afinal se deu margem para tal ação. Se você toma o maior cuidado ao andar pelas ruas, ao chegar a sua casa, por que não tomaria cuidado ao utilizar um meio digital? Não se engane os “profissionais” na área também se utilizam do ciberespaço para “organizar” os seus delitos, ou melhor: trabalhos.

A pergunta que eu faço é a seguinte: É realmente necessário expor a sua vida dessa forma? E a dos seus filhos, que infelizmente estão sendo observados por todo o mundo e que não tem poder de escolher se quer ou não participar desse novo movimento? Se a resposta foi sim, aconselho a procurar um psicólogo, pois está sofrendo de algum tipo de transtorno comportamental muito comum nos dias de hoje. Agora se a resposta foi não, parabéns você tem chances de se livrar desse estilo de vida imposto a nós jovens modernos.

Eu vejo bebês que tem as suas vidas totalmente divulgadas na web, os pais informam a todo o momento onde seus filhos se encontram, o que estão fazendo, com quem estão se relacionando, o que fizeram, enfim, não se preocupando no mal que podem está ocasionando a eles tanto hoje quanto no futuro, por que pense bem, se fosse você a vitima:

Imagine-se pequeno com 2 anos de idade e suas fotos sentados em um “troninho” juntamente com um texto explicando como esta sendo a sua adaptação no desfralde? Agora você tem 18 anos e seu namorado ou namorada está vendo isso publicado, provavelmente jogado na vastidão da web? É trauma na certa. Por que o pai era carente de atenção e necessitava informar a todos sobre o dia a dia do filho, jogando na internet! Ou informando como se fosse à hora-certa através do Foursquare onde estão, e em que colégio X? Será que essas pessoas não percebem que eles estão abrindo margem para que possa acontecer alguma coisa séria na vida delas ou pior na vida dos filhos delas? Percebam o que vocês podem está originando por causa dessa necessidade quase que Narcisista em contar uma novela. Acompanho (por que faz parte do meu estudo de comunicação e psicologia) como se fosse realmente uma minissérie da vida real de pessoas anônimas.

Em um mundo onde ninguém respeita mais ninguém, onde a vida do próximo não vale mais nada e em muitas vezes vemos acontecimentos que poderiam ter sido evitados senão fosse o egocentrismo exagerado de se mostrar a todo minuto e a todo tempo, nessa pseudo-afirmação de que olha: “Eu existo e quero ser notado”!?

Estudo diariamente a segurança nos campos digitais, associados à psicologia social, e noto que estamos caminhando para uma vida onde o privado não existirá mais, e ninguém poderá nem reclamar se um dia encontrar na Internet fotos pessoais ou declarações que deveriam está privadas, mas que não se respeitou a vontade de quem a solicitou. Isso por que nem os advogados e juízes acordaram para o fato dos crimes digitais, ainda são poucos os que atuam nessa nova e promissora área do Direito.

O Foursquare é uma rede social dispensável e que se os especialistas em roubos ou seqüestros quiserem poderão utilizá-la para monitorar a sua vida, a vida da sua família, juntamente com o seu Twitter que é aberto para todo mundo, com o seu Formspringme que pode se manter contato através de perguntas simples e o fato de você ficar postando o dia a dia da sua família em blogs ou informando onde eles se encontram nesse exato momento através do Foursquare,  poderá está correndo sério risco de vida, acredite.

Estudo todas as redes sociais e sei que todas elas têm um Q de perigo constante quando não bem utilizadas, porém o Foursquare é perigo diário a todo o momento, uma vez que, a mesma informa, através de você, lógico e em tempo real a sua localização geográfica, abrindo margem para possíveis crimes.

Fica o alerta.



Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Como está o mercado de Mídias Sociais em Natal RN?

quarta-feira, 20 de abril de 2011




Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Marketing Pessoal, você sabe fazer o seu?

segunda-feira, 18 de abril de 2011


É cada vez mais comum observarmos o surgimento de blogs, perfis em redes sociais ou até mesmo sites pessoais onde o principal objetivo é o de se autopromover.


Com o uso cada vez mais corriqueiro dessas ferramentas e tendo a disposição a qualquer momento da Internet, diversos profissionais das mais variadas áreas estão fazendo a sua própria propaganda - E isso é fantástico.

O blog Mkt Digital e Novas Mídias também nasceu da ideia de unir as minhas pesquisas sobre novas mídias e web 2.0 com a chance de mostrar um pouco mais sobre o meu trabalho, minhas preferências profissionais, minhas atividades na área de comunicação digital e minha profissão - Jornalista atuante na área web. Ele é uma forma que eu achei para me apresentar a vocês e com isso aplicar o que hoje conhecemos como Marketing Pessoal.

O que é Marketing Pessoal?

É uma forma da própria pessoa se autopromover através de seus diferenciais na sociedade. Se promover hoje em dia, diga-se de passagem, é algo bastante comum e sadio.

Navegando pela web podemos achar inúmeros blogs de pessoas comuns colocando a sua disposição os serviços ou produtos delas, e inclusive ganhando dinheiro com essa forma alternativa de sobrevivência Profissional. Porém, o marketing pessoal não se limita somente a ter uma página ou perfil na web.

Um bom marqueteiro pessoal sabe utilizar-se muito bem do mundo offline, fazendo uma convergência perfeita entre on e off e mantendo um bom network, causando assim uma boa impressão em seu convívio social e sempre se autopromovendo, falando da sua profissão ou serviço.

E você, como aplica o marketing pessoal no seu dia-a-dia?



Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Profissão? Analista de Mídias Sociais!

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Descobri esse "achado" no You Tube falando a respeito da profissão de Analista de Mídias Sociais - Tudo a ver com este post anterior aqui!

Espero que curtam!





Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Qual a diferença entre Analista de Mídias Sociais e Administradores de Mídias Sociais?



Com o surgimento das novas mídias surgiu também várias profissões para "cuidar" da nova forma de comunicação do momento. As mais comuns que podemos observar são os analistas de mídias sociais ou social media e os gerentes de redes sociais. Mas, será que você sabe exatamente a diferença entre cada uma dessas novas e promissoras profissões? Se não sabe, ficará sabendo agora, pois selecionei 5 características peculiares de cada uma das profissões a fim de explicar ao certo o que cada profissional faz.

#Vamoslá?

Social Media - Analista de Mídias Sociais:
Os analistas de mídias sociais como o próprio nome diz: analisam! Preparam ações, elaboram estratégias e mensuram o resultado. São como os médicos que dão o diagnóstico, prescrevem o remédio, dá a posologia, mas não colocam necessariamente a mão na massa. Eles são os intelectuais, as cabeças pensantes.

Características da atividade dos Analistas:

1. Criar a ação;
2. Organizar e preparar a ação;
3. Analisar e mensurar resultados;
4. Gerenciar crises de imagens;
5. Elaborar relatórios.



Gerentes de Redes Sociais:
Já os Gerentes de redes sociais ou administradores de perfis, são obviamente os profissionais que administram as ações criadas pelos analistas. Eles são como os enfermeiros, que executam a posologia do remédio prescrito pelo médico. São profissionais executivos de redes sociais.

Características da atividade dos Administradores:


1. Dá vida as ações;
2. Delegar funções;
3. Observar como as ações estão sendo aplicadas;
4. Responder e interagir com os participantes;
5. Executar FeedBacks com os clientes e analistas.


Percebeu a diferença entre os analistas de mídias sociais do gerente de redes sociais? Um necessita do outro para que o trabalho seja PERFEITO. E aí, já decidiu se vai analisar ou administrar as Mídias Sociais?


Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

A facilidade que temos em criar perfis em plataformas de redes sociais

terça-feira, 12 de abril de 2011



"Uma metáfora para que empresários e alguns profissionais da comunicação entendam como alguns perfis criados nas plataformas de redes sociais estão sendo observados pelos seus clientes".

Já pararam para imaginar a facilidade que é para criar um perfil em alguma ou todas as redes sociais? Eu já.
Para criar uma conta na maioria das plataformas interativas, no geral, são apenas 4 passos simples e pronto: A marca ou alguém já está inserida nas"redes sociais", ou ao menos já tem o próprio endereço cibernético.


Porém, ter o canal direto com o público-alvo de nada adianta para uma Marca se ela não interagir. E é nessa hora que os gerentes, sócios e proprietários se vêem perdidos em meio ao um mundo complexo e extremamente competitivo que é a web - Tenho o canal, mas não sei como devo agir - eles se perguntam.


Cheguei à óbvia conclusão que: Criar é simples, manter é que são outros quinhentos - É como comprar um carro e não saber dirigir - você tem a chance de ganhar o mundo, porém não sabe fazê-lo, por que algo óbvio o impede: Não saber dirigir o carro, é o mesmo de não saber usar as redes sociais.


Com o passar do tempo, essas empresas que hoje mantém verdadeiras "residências abandonadas" na web, concluirão que apesar de ter o imóvel, muito bem localizado e prestigiado por uma vizinha extremamente comunicativa e prestativa, de nada adianta se nesse bonito imóvel, não morar alguém! É como o carteiro colocar todos os dias cartas na caixa do correio e ao final do dia não ter ninguém para pegá-las. Assim está sendo a maioria das "residências virtuais" de algumas marcas - Casas que não moram ninguém.


Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Publicitário Interativo

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Walter Longo fala sobre a importância de ser interativo nas publicidades. E ainda faz um alerta importante:  "Tem que se fazer algo que o consumidor espera, deseja e quer".

Importante demais assisitir:



Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Jornalismo a profissão que deu origem a democracia no Brasil! #diadojornalista

quinta-feira, 7 de abril de 2011


Há muitos tentei não entrar no mérito da questão com relação ao piso salarial dos Jornalistas do RN. Mesmo por que, entraria em uma discussão que não me levaria a lugar algum, uma vez que, patrões e empregados nunca entram em acordo devido a inúmeros pormenores. Porém, resolvi expressar aqui a minha opinião com relação a esse e outros assuntos que envolvem a todos nós, comunicadores, pois existe sim muita injustiça da classe empresarial, política e até mesmo sociológica com relação à profissão de jornalista.


A profissão:

Ser Jornalista não é e nunca será uma tarefa fácil. A maioria da população pensa erroneamente que ser jornalista é saber escrever e pronto e que, portanto não merece receber tantos benefícios, como se só o fato de saber se expressar gramaticalmente já não fosse o máximo em uma sociedade carente de bons escritores. A população de uma maneira geral vangloria muito médicos e advogados, deixando de lado outras profissões importantíssimas pelo simples fato de estarem presas ainda em passado muito distante, quando ser médico e ser advogado eram sinônimos de Status sociais! Os tempos são outros meus caros colegas.

O que acontece é que jornalistas são médicos da sociedade, (de uma sociedade que nem ao menos reconhecem o valor da profissão de jornalista). Eles, ou melhor, nós, temos o importante papel de operar, extrair e curar a sociedade dela mesma. Temos o principal papel de comunicar a vida, embora muitas vezes comuniquemos o lado não tão bonito dela (vida), muitas vezes por culpa da própria socidade. Colocar a nossa vida em risco para conseguir a melhor informação, aquela que realmente trará toda a diferença na hora de entender o que está acontecendo no mundo ou o que está acontecendo com o nosso mundo, não merece o devido respeito? Nós, JOR-NA-LIS-TAS ajudamos a arquivar a história, informamos as curas, denunciamos os abusos, prevemos o futuro e para tudo isso se pede no mínimo respeito aos que infelizmente não sabem como é o dia a dia de quem muitas vezes exclui-se da própria vida para viver a vida da sociedade. Somos sociólogos, psicólogos, economistas e nas horas vagas jornalistas, quase nunca temos tempo de sermos cidadãos.


O Diploma

Então chegamos no mérito do diploma. Se só saber escrever não é o bastante, em um País onde ainda predomina o analfabetismo, seja ele funcional ou digital, o ato de escrever então fica em segundo plano! ainda temos que lidar com uma (grande) parcela da população que insiste em nos informar a todo momento que nosso diploma, fruto de muito estudo e dedicação não vale nada perante os outros (?), por que alguns políticos assim o decidiram. Caríssimos, estudamos 4 anos e meio, nosso DI-PLO-MA é o nosso maior orgulho, a nossa arma em punho (com munição e tudo mais). Ninguém vai tirar o nosso conhecimento, fruto de um estudo dedicado e honrado com mérito através de um documento extremamente importante e escasso no Brasil (País de todos?), embora encontremos por aí inúmeras fábricas de fazer diplomas, ainda assim é escasso e merece o devido respeito, seja ele diploma de jornalista ou de sei lá mais qual profissão. Não é um papel que mudará essa situação, mas é o papel que fará toda a diferente diante de qualquer situação.

Ainda bem que essa ideia louca não chegou às empresas que valorizam o profissional e ficou somente na teoria, por que na prática: Sim, o diploma é essencial para ser contrato como Jornalista Profissional.

O Salário digno:

Trabalhar muitas vezes 08, 10 ou 12 horas por dia, colocando a criatividade a prova a todo o momento, sendo perspicaz quando se está passando por momentos ruins na vida pessoal e se arriscar fazendo coberturas de matérias em lugares extremamente hostis, abdicar de fim de semana, feriado ou dia santo, perder horas de sono em plantões na redação ou segurar as pontas de clientes, quando na verdade você prefere é está em casa curtindo a sua família ou simplesmente de papos para o ar, isso não é um motivo justo para pagar um salário descente para quem abdicar da sua própria vida em prol do desenvolvimento da sua emissora de televisão, de rádio, jornal, grandes portais e sites ou redações de um modo geral? Claro que é! Sou a favor de um piso salarial justo, de melhores condições de trabalho para o profissional, da licença maternidade de 180 dias para as profissionais de jornalismo, de planos de cargos, carreiras e salários. Afinal em um País onde o diploma de forma alguma é valorizado pelos governantes, seria justo que os empresários valorizassem o profissional que tanto faz pelo crescimento da empresa e que para esse reconhecimento apenas um obrigado não faz a mínima diferença, o que faz é um bom incentivo financeiro e acima de tudo apoio moral para quem informa em um mundo necessitado de informação.




O ser humano é bicho esquisito, exclua-o em um quarto escuro, sem pessoas ou sem meios de comunicação e espere para ver aonde vai dá: Somos seres sociáveis, necessitamos de informação o tempo todo. Informações seguras, pois se não o for serão fofocas e isso sim qualquer pessoa que não tenha diploma ( de jornalismo, radialismo ou qualquer outro) e tenha sido alfabetizada em qualquer supletivo de 1 mês pode o fazer, basta querer. Ser Jornalista é bem mais que ser escrivão!

Para todos os meus queridos colegas de profissão: Feliz dia nosso – 07 de Abril – Dia do Jornalista!






Priscylla Duarte | Jornalista (Com orgulho!)
@priscylladuarte

iPad ou Papel? papel.com.br

quarta-feira, 6 de abril de 2011



Achei esse texto extremamente interessante e empolgante. Retrata perfeitamente a real necessidade humana de se manter informado a todo custo, e demonstra o quanto estamos conectados 24 horas com o mundo. O texto é da Giuliana Vaia ( uma cronista MARAVILHOSA que acompanho há mais ou menos 1 ano através do blog: lulunaodorme.blogspot.com ) . Ela com toda a sua sabedoria descreve perfeitamente o nosso momento cibernético!


PAPEL.COM.BR
Por: Giuliana Vaia - malvadezas.com

Vim aqui defender o papel do papel enquanto papel na sociedade.


Sou tarada por tecnologias, é uma verdade. A velocidade com que as notícias correm pelo mundo internético me fascinam, além de que, adoro ler. Ler é meu grande barato. Tudo que me dá acesso a informação e ao conhecimento, me conecta ao plano divino (quer dizer, depende do tipo de conexão né, porque a 3G vô ticontá.)

Até aí tudo bem, só que apesar dessas minhas duas paixões conviverem bem, algo soa incongruente aos meus sentimentos, que é ler qualquer coisa por aquele negocinho ultramegatecnológico que parece um livro, tem o formato de um livro, mas não é um livro. IPad, sacam?

E porque vim aqui discutir meu gosto papelístico? Porque não pensei em nada mais atractive e tô de férias na praia, curtindo um bicho geográfico num mar cheio de cocô, cercada de trombadinhas(uma dica: não é RJ) e tava aqui matutando… poxa vida, nem li as notícias de hoje e num átimo de segundo, sucumbi e desejei um iPad. Mas me recuperei rapidamente e lembrei que não simpatizo com o negócio. Na verdade odeio um iPad com toda a força do meu ser.

iPad é perigoso, alguém pode me violentar e subtrair meu brinquedo só pra comprar psicotrópicos e… bom não era bem aí que eu queria chegar…

Por que existe um iPad? Quem de verdade deseja ter um iPad? Quem usa iPad? iPad é supérfluo, desnecessário, além de não ter o charme do papel, o brilho no olhar que o papel tem (oi?) o corpo do papel, o calor humano do papel(oi2?) enfim… é uma máquina, só uma máquina. Quem realmente precisa de um iPad, se já temos o computador?

O negócio é que gosto mesmo do papel.Gosto não, tenho paixão. O cheiro, a textura, as letrinhas impressas em CMYK num couché gramatura 90; tem coisa mais carregada de emoção? Lamber o dedo pra virar a página, grifar as partes mais importantes de um livro (embora considere isso um crime), fazer barquinhos com as inúmeras páginas de propaganda do Etna; matar drosófilas na fruteira com uma Veja; se abanar num banheiro abafado com Fernando Pessoa quando o ‘serviço’ tá difícil; desenhar chifres na Carol Dieckman quando fala ao telefone, traduzindo inconscientemente seu ódio por ela estar exibindo aquela (falta de) barriga na capa da Corpo a Corpo.

É… nada tem o tchã, o it, o borogodó do papel (só o Javier Bardem)
E diz aí, quando que você ia poder dar um tapa num pernilongo com um iPad?
Falemos das revistas, ahhh as revistas…Tenho um porção delas. Coleção. De todos os tipos cores tamanhos e assuntos, com direito a páginas amareladas de tão velhas. Verdadeira relíquias. Tenho uma estante só de revistas separadas por ordem de assunto: Yoga e filosofia hinduísta, pra quando tô puta com a vida e com uma aura negativa. Boa Forma, pra quando quero perder 25 quilos em um dia. Cláudia, pra quando quero ser mãe- esposa- executiva exemplar. Nova, pra quando quero ser vacona, como dizia um professor meu da faculdade: “Nova é a revista da secretária vacona”. Ana Maria, pra quando desce o espírito orkutiano e quero preparar um pavê de bolacha Maria. Caras pra me interar de quantas vezes Rihanna apanhou na última semana enquanto retoco a raiz. Manequim, pra aprender a customizar abadás (quem não quer aprender a customizar abadás, gente?). Playboy (hein?), ahh pra ler as piadas, claro. Gosto, pra quando bate aquela vontadinha de comer vieiras grillé com raspas de trufas brancas e redução de vinho do porto as 2h da manhã (eu e Chiquinho Scarpa). Superinteressante pra saber como o pensamento lógico do hemisfério esquerdo do cérebro predomina sobre o direito. Psicologia, pra estudar sobre os arquétipos junguianos que povoam o inconsciente coletivo através da abordagem simbólica e hermenêutica (locão esse Jung). Negócios, pra…pra quê mesmo? Filosofia, pra me aprofundar na teoria moral Kantiana. História da arte, pra amar ainda mais o Monet….

E os Livros? Livros são o papel de parede da minha casa. Livros de todos os assuntos, sabores, cores texturas; livrinhos e livrões. Neruda com Dom Casmurro. Hiroshima e Lobão. Philip Roth de mãos dadas com Veríssimo. Nietzsche e Saramago. Vidas Secas, Yalon, Millor e Shopenhauer. Nabokov encostado nas putas tristes de Márquez. Drummond juntinho com Grisham. Todos dividindo pacificamente o mesmo espaço.

Leio no box antes de entrar no banho, leio cozinhando, leio andando, no carro, no ônibus –Pausa: confesso que com o advento do twitter, meu hábito de leitura passou de 300 páginas para 140 caracteres, por uma simples questão de administração de tempo. Sim, me envergonho disso -Despausa. Livro é minha cocaína. Não tem nada mais reconfortante que ir ao banheiro com um Paulo Coelho, porque né? Se acabar o Neve, você pode limpar o……enfim, não tenho preconceitos, leio tudo que cai na minha mão (mentira! Paulo Coelho ainda não tive coragem.)


Com um pouco de água e pão, moraria tranquilamente na livraria cultura do Villa Lobos. Meu oásis.

Agora tem uma coisa que é feita de papel que não me atrai. O velho jornal. Não curto o jornal em nenhum de seus formatos: tablóide, standart, berliner ou pocket. Jornal é desconfortável e fede, além de sujar as mãos. Jornal tem notícias velhas, de ontem! Quem quer ler notícias de ontem? Notícia de cinco minutos atrás, pra mim, já é notícia velha e a internet ta aí pra isso. É só apertar um refresh e pimba! Tudo atualizadinho e fresquinho. E de repente você tá lá na praia, com o pé cheio de bicho na areia, sem saber o que o que esta acontecendo no mundo, o que as pessoas estão fazendo, no que estão pensando, e se lembra que sua coleção de livros e revistas estão a 200km de distância, seu computador está preso a sua mesa de trabalho, seu notebook de repente virou um puta trambolho, a tela do celular é pequena demais pra se ler qualquer coisa por que dói a vista, e você tá sem saber se Bolsonaro foi cassado, ou curiosa pra saber a quantas anda a Líbia ou quem fez os gols do Paulistão.

Essa defasagem de atualização vai criando uma agonia crescente em meu peito, um comichão, uma coceira, uma falta de ar, uma tremedeira angustiante, ânsia de vômito, taquicardia e PORRA! Como eu preciso de um iPad! Como vivi até hoje sem um iPad? Como pessoas sobrevivem sem iPad? Se Maslow estivesse vivo, iPad viria antes de alimento e sexo em sua pirâmide hierárquica, certeza! Tô com uma necessidade quase fisiológica de possuir um iPad! Daria um braço, ou melhor, morreria por um iPad agora.

Mas um iPad 2, por favor! Porque se quisesse alguma coisa ultrapassada, ficaria com o papel. Afinal, não me contento com pouca bosta.

Logout.


Segue o texto no blog de origem: http://segue.se/VQy





Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

A proibição da Globo sobre a veiculação de perfis em Redes Sociais nos comerciais de seus anunciantes

sexta-feira, 25 de março de 2011



A TVe a Internet em um futuro próximo caminharão juntas

Semana passada fomos pegos de surpresa com a notícia que a TV Globo iria cobrar duplicidade para todos os anunciantes da rede que colocassem em suas propagandas os perfis nas redes sociais sob pena de dobrar o valor da publicidade, ou seja, seria duas propagandas em uma.

 Não entendi muito bem o porquê dessa decisão, mas sei que marca um retrocesso para a comunicação. A Rede Globo, uma emissora presa no passado, pensa que proibindo algo, irá evitar o inevitável. Fiquei me perguntando desde o dia que soube dessa novidade até hoje quando decidi escrever o post, que se as redes sociais, na visão da TV Globo, são pouco interessantes e pouco interferem no dia a dia da emissora, ao ponto dos assuntos abordados nessas redes sociais serem originados a princípio da própria emissora, qual o problema em veicular os perfis no comercial da marca que comprou o espaço da Globo?

Entendi como um caso fatídico de medo do que está por vir e na dúvida é melhor se precaver.

Se realmente as redes sociais não impõem nenhum tipo de medo na comunicação tradicional e se elas não são fontes seguras de notícias ou fatos, então para que impedir de alguma marca divulgar seus canais na web como forma de aproximar-se ainda mais do seu público-alvo? Para que cobrar por isso? Uma maneira ingênua de lucrar com o crescimento vertiginoso das redes sociais.

O que então de fato está causando medo na Globo? Ninguém sabe, ninguém viu. O fato é que a Emissora como não pode parar o crescimento estrondoso da Web, decide então ditar a própria regra, obrigando as marcas a pagarem mais para colocarem um simples perfil em seus VT's.

Sinceramente? Não sei ainda por que fazer propagandas de televisão, elas não atingem ninguém há tempos, seria muito mais vantajoso investir a dinheirama toda que a Globo pede para veicular os comerciais em sua grade de programas a tempo ultrapassada, em algo mais eficaz - onde se consegue realmente mensurar.

 Agora vai dizer isso para um empresário tradicional, que sempre quer ser o dono da situação e da verdade; vai dizer a ele que o dinheiro foi literalmente jogado fora com esse comercial de 30 segundos. Melhor,  fala para o publicitário que lucra com 20% desses comerciais e que não curti a web por que ainda não conseguiu impor as porcetangens dele.

Capaz de você ser chamado de doido, de futurista ou algo do tipo, por que você em meio a 90% da população, é um dos únicos que sabem que comerciais de TV são ultrapassados demais e que sim, as redes sociais trariam muito mais retorno para eles, a prova é tanta que a próprias Rede Globo já quer tirar proveito antes que ela quebre de vez...

A dica é: Globo, procure melhorar a sua grade de programação que vai de mal a pior, todos os programas sem exceção do Mais Você ao Programa do Jô ,que há muito tempo deixou de ser um talk show interessante. Procure melhor o padrão de qualidade Globo ao invés de tentar impedir o óbvio: As Redes Sociais estão aí e felizmente nelas o seu monopólio não chega.



Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte



A ascensão do Marketing Digital e o declínio da Mídia Tradicional

quarta-feira, 23 de março de 2011

Esse vídeo resume perfeitamente o nosso post de segunda - "A propaganda nem sempre é a alma do negócio, ainda mais em tempos de web 2.0". Vocês irão entender agora o por quê dessa revolução nos meios de se comunicar, interagir e consumir que felizmente estamos não só presenciando, mas vivendo.

Divirtam-se!





Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

A propaganda nem sempre é a alma do negócio, ainda mais em tempos de web 2.0

terça-feira, 22 de março de 2011

Redes Sociais é uma eterna brincadeira de telefone sem fio

Você já parou para pensar que os administradores de empresas não gostam nem de ouvir a palavra: Propaganda? Para eles investir em propaganda é literalmente jogar dinheiro fora.


Vamos entender o por quê?

Conversando pelo MSN com uma amiga administradora que está montando sua loja de acessórios, ela deixou bem clara a visão que a mesma tem com relação ao investimento; através do seguinte questionamento: - Pri, você já viu alguma propaganda do Ábade?

Nota:

*Ábade para os meus leitores de outros estados do País, é um restaurante de classe alta daqui de Natal.

Ela quis me dizer que o Ábade, a pesar de ser muito conhecido, não investe em propaganda por que eles não precisam, uma vez que o bom serviço deles já fideliza e chama os outros clientes por indicação. Ou seja, o público do Ábade é quem faz a propaganda do restaurante para outras pessoas e assim mais e mais clientes conhecem o restaurante, não por que passou a propaganda na televisão, mas sim por que o melhor amigo foi ao restaurante, gostou do atendimento e da comida e indicou, ou seja, uma pessoa que foi quem indicou a marca a outra e não a própria marca se auto-indiciando para os demais, como é a propaganda.

Daí eu perguntei para ela: O que isso lembra? Ela respondeu enfaticamente: Uma rede social. Eu disse, pois é. O restaurante criou sua própria rede social e isso só foi possível por que o serviço é realmente bom, embora nem todos possam pagar para tê-lo – outras classes sociais. E é exatamente isso o que acontece: As propagandas estão aos poucos entrando em desuso, isso é fato. Quantas vezes vemos empresas investindo milhões em propagandas de televisão, vinheta de rádio e etc e não obtêm retorno algum? Várias e várias vezes. Porém, quem nunca presenciou a ascensão de uma pequena marca, só pela boa reputação passada por alguém que a consumiu, foi bem-atendido ou algo do tipo? Inúmeras vezes!

Propaganda é como uma pessoa se “autoestimando” demais, chega uma hora que os outros indivíduos irão simplesmente ignorá-la. Funciona assim também com a propaganda: A marca falando que ela é demais é a melhor etc e tal – é óbvio demais. Ela vai sempre mostrar as qualidades dela e não o contrário, simples assim, e nós sabemos que Nada é Perfeito. É uma indicação suspeita a se seguir. Agora, quando é outra pessoa falando, uma terceira que nada tem a ver com a história, aí sim surte mais efeito - É simples, viu publicitários? Só um toque e reflitam sobre o assunto – nada contra a classe publicitária, muito pelo contrário, apenas acho que a maioria é previsível demais – e a previsão não tem muito em comum com a criatividade.

Um breve exemplo:

A minha prima é proprietária da Pizzaria Calígula que fica na praia da Pipa – litoral sul do RN. Algum tempo atrás ( 2005 – quando as pessoas estavam engatinhando na Internet e nas Redes Sociais) Ela invistiu horrores em propaganda - Jingle, cartazes em toda a cidade, spots na rádio cidade, enfim investiu por que falavam que era bom. Contratou uma agência boa e tudo, mas o investimento dela não aumentou a clientela, nem diminui obviamente, permaneceu a mesma coisa - empatando. Ela como toda administradora pragmática, deixou de lado a tentativa de investir em propaganda tradicional, pois nada havia gerado de retorno e decidiu por conta própria utilizar a Internet como auxiliadora. Criou alguns perfis nas redes sociais, que na época era somente o Orkut e um pouco de Facebook, visto que em Pipa vai muito estrangeiro; começou a enviar E - marketing para os contatos trocou banners com alguns sites e blogs, resultado: aumentou o crescimento da Pizzaria devido o fato de o público dela está presente na Internet e pela abrangência que a mesma alcança. Resultado: A Calígula ganhou força em Natal e ela teve que abrir uma filial aqui – na Ribeira, o borburinho causado foi tão grande que pessoas daqui saiam para Pipa e escolhiam a Pizzaria dela para saborear pizza e isso tudo apenas com o investimento em publicidade digital – na época investindo quase nada em comparação com o que ela havia investido meses atrás com a propaganda tradicional.

Eu sempre afirmo que Comercial de TV é over, que outdoors só poluem a paisagem, que ninguém em sã consciência pára para ouvir o locutor com aquela voz de quem tá com uma batata na boca falando sobre determinado produto, ou seja, é passado. Ninguém presta mais atenção APENAS nesse modelo – Dói, mas é verdade. Algumas são muito bonitas, outras nem tanto, algumas mais parece vídeos feitos por ainda universitários e não profissionais formados, outras ao invés de ajudar a marca, elas as põem em um enorme buraco negro. É muito arriscado e por ser arriscado, os administradores preferem deixá-los de lado. Mas, essa "raiva" que os gerentes de empresas têm de propagandas vem do fato que muitas vezes o retorno investido, não é gerado, e aí já viu, né? Time is money, e por isso, somente isso, os profissionais formados em administração preferem se resguardar - como foi o caso da administradora da Pizzaria Calígula e afirmando o pensamento da minha amiga administradora de loja.

Sugestão: Que tal usarmos a convergência midiática?

Termino o meu texto com a seguinte opinião:

Comercial de TV é coisa do século XX. Hoje talvez a maioria das pessoas não percebam por que ainda estão muito presos a hábitos antigos, porém uma pequena parcela da população já percebeu e acordaram para o óbvio: Público quer interagir com o produto, fato que absolutamente somente as propagandas não conseguem oferecer.


Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Encurtadores de Url's: Segue.se - Conheça essa novidade!

sexta-feira, 18 de março de 2011


Essa semana surgiu na web mais um encurtador de url, dessa vez desenvolvido por dois profissionais daqui mesmo de Natal – RN: Fernando Gameiro – Programador Web e Osmany Lima – Web Designer. Eles, criaram e desenvolveram o Segue.se – Novo encurtador de Urls utilizado principalmente para encurtar links à serem postados em blogs, redes sociais e sites.

O Blog Tendências de Marketing Digital e Novas Mídias ao longo dessa semana vem encurtando seus artigos através do Segue.se e à partir de hoje o novo encurtador será a ferramenta oficial de encurtadores de link utilizada por aqui.

Conheça mais sobre a ferramenta através da entrevista realizada com o @nandogameiro – Criador da ferramenta.



1. Como surgiu a ideia de desenvolver o encurtador de url Segue.se?

Surgiu de uma conversa junto ao meu amigo osmany lima, ele me perguntou se era fácil fazer um encurtador de url, então, eu disse que conseguia fazer. Em seguida colocamos a ideia pra frente.

2. Quais são as principais funções do encurtador?

Além de encurtar, ele traz a quantidade de cliques e qual é a data/hora do último. Em breve estaremos implementando mais estatísticas com gráficos.

3. Quais os planos para o Segue.se?

Implementar muitas outras estatísticas para cada vez mais ajudar o usuário a ter controle sobre os seus links divulgados por meio de rede sociais, blogs, sites etc... e também produzir mais api’s para facilitar cada vez mais a sua usuabilidade.

4. Empresa ou marcas que queiram tornarem-se parceiras do Segue.se como fazem para entrar em contato com a equipe de desenvolvedores?

Podem me encontrar no twitter @nandogameiro ou pelo email fernando@segue.se

5. Existe alguma estratégia aplicada sobre a campanha de divulgação do encurtador?

De inicio tenho utilizado muito ele em postagens no twitter, tanto eu como amigos tem ajudado a divulgar utilizando para sua principal função – encurtar url.


6. Diante de todo o crescimento da Web 2.0, geração de conteúdo em massa, e outras formas de interagir: - O que podemos esperar do Segue.se como ferramenta de auxilio para blogueiros, jornalistas ou usuários de modo geral?

Facilidade e usuabilidade.

Fale com o desenvolvedor da ferramenta através do:

Twitter: @nandogameiro

ou


Email: Fernando@segue.se



Achou bacana? Então segue o link do segue.se !


Fernando Gameiro - Programador Web e desenvolvedor do segue.se
A entrevista com o programador web: Fernando Gameiro, criador e desenvolvedor do encurtador de url: segue.se dá início a uma série de bate-papos no blog (seja através de podcast, videocast ou entrevistas), relacionados a desenvolvimentos de aplicativos, ferramentas ou outras novidades que facilitem o uso da web. Se você tem um projeto bacana que tenha a ver com o tema do blog – web 2.0 e quer divulgar a ideia ou o produto, mande um release para a redação do blog. Entre em contato através do formspringme ou twitter.






Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Direito de resposta à @miranda_rn

A equipe de marketing digital da Miranda, marca mencionado no artigo postado na última segunda-feira, 14/03, sobre comportamento de algumas marcas natalenses no twitter, procurou a redação do blog para ter a sua versão esclarecida. Partindo do princípio da comunicação que é dá a oportunidade ao leitor de saber os fatos sobre as diferentes versões apresentadas, segue os esclarecimentos da @miranda_rn sobre o assunto abordado:

Em nome da Miranda Computação gostaríamos de esclarecer alguns itens citados em sua postagem no blog sobre “O comportamento no twitter de algumas marcas natalenses”. Nós fazemos um trabalho de relacionamento com os clientes pelo twitter, trazendo informações, novidades, dicas e orientações. Geralmente quando recebemos alguma reclamação em relação ao nosso atendimento, por exemplo, encaminhamos para o gerente da loja onde o cliente foi atendido e ele se encarrega de entrar em contato para saber o ocorrido e tomar as providências cabíveis para solucionar o caso. Entendemos que nem todas as situações abordadas no twitter devem ser resolvidas nesta plataforma.

Críticas eventuais são respondidas quando a equipe de marketing digital tem esse poder, quando não, direcionamos a reclamação para o setor responsável. Quando o cliente está insatisfeito, nós sempre buscamos localizá-lo e entramos em contato através de outros meios, que pode ser um e-mail ou um telefonema. Já recebemos inclusive feedbacks de clientes que reclamaram no twitter e imediatamente tiveram seu problema direcionado para o setor responsável e resolvido no mundo off-line.

Em relação a divulgação de ofertas, se você mensurar o número de tweets verá que este tipo de postagem não é comum. Primamos pelo conteúdo e divulgamos uma oferta quando esta é relevante ou quando estamos em meio a uma campanha promocional.


Agradecemos mesmo assim a citação do nosso twitter em seu blog, por acreditarmos que as críticas nos impulsionam a trabalhar melhor.

Qualquer dúvida ou sugestão estamos à disposição.
Equipe de Marketing Digital
Miranda Computação e Comércio LTDA






Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Quem fez 5 anos? Eu sei: O Twitter!

quarta-feira, 16 de março de 2011


Em Março de 2006 nascia o Twitter, rede de microblog que obriga ao usuário a escrever em 140 caracteres coisas referentes a ela própria, uma espécie de diário eletrônico. A princípio a ideia não agradou muito, já que ficar lendo coisas do tipo: Fui ali e já volto, acabei de chegar, minha mãe é chata, vou ao shopping entre outras, não era digamos: interessante para a maioria do público.


Conheci o Twitter em 2009 - um pouco tarde, eu sei! - e o utilizei para postar os bastidores de um programa de televisão, no qual era diretora da Rede de comunicação digital. Gostei de cara. Achei uma excelente ferramenta de informação, tanto que todos os outros programas e inclusive a Emissora também tiveram o seu próprio Twitter, menos eu que só fui fazer realmente a minha conta em Abril de 2010, com o objetivo de postar os links dos meus artigos e assuntos relacionados a comunicação digital.

A partir de 2008, segundos pesquisas realizadas na época, o Twitter passou a ser realmente um veículo informacional, onde os canais de comunicação interessados em uma comunicação mais rápida, one by one e participativa passaram a utilizá-lo, popularizando-o.

Porém, foi com a morte do astro Michael Jackson que o Twitter emergiu como um veículo voltado realmente para a informação noticiosa e excelente meio para divulgar manchetes. Podemos então traçar uma linha do tempo muito importante a partir desses dados: o surgimento dos perfils Pessoais e Empresariais, devido o estopim dos Twitters comunicacionais.

Desde a sua criação em 2006 até hoje, houve muitas mudanças com relação a layout e estratégias de marketing que fizeram do Twitter uma das principais redes sociais do Mundo atualmente.

Com mais de 500 mil habitantes, a cidade Twitter utiliza-se de um meio totalmente social, onde quem reina absoluto são as pessoas e somente elas tem o poder de decisão. Diante de um mundo regido por corporações, sobreviver em um ambiente onde quem dita às regras dos jogos não são os governantes e nem muito menos as grandes corporações, mas sim pessoas comuns, tornou-se quase uma obrigação dessas grandes corporações a "dançar a dança do ser - humano" e participar de forma proativa dessa nova sociedade – A Sociedade Conectada.

Queira ou não queira, o Twitter dividiu a Era da informação - hoje, tratamos as pessoas ou marcas por @ e aprendemos a escrever de uma forma resumida, escolhendo bem as palavras para não perder o sentido da oração, nos interessamos a escrever melhor para não passar vergonha diante da Nossa platéia, sim temos platéia!

O Mundo mudou ou a sociedade mudou? quem deu o ponta pé inicial? Essas são as perguntas do século XXI. Na verdade, os dois mudaram.

O mundo diminui de distância por que as pessoas tornaram-se grandes e parte disso aconteceu devido à nova forma de utilização da web - Uma forma mais pessoal, muito diferente da que conhecíamos anteriormente, onde milhares de sites corporativos estavam jogados na rede; o processo se inverteu e ficou bem mais interessante quando o poder passou para as mãos do povo.

Ouso a dizer que a mudança na verdade partiu das pessoas, que acordaram para o seu poder de decisão, de escolha e de sociedade pura e simples. Se impôs diante de um mundo capitalista, regido por magnatas e políticos (que há 30 anos atrás dominavam a população com suas publicidades e promessas políticas ultrapassadas), e ainda contavam com o apoio DISSIMULADO dos meios de comunicação tradicional.

Com o Twitter esse poder cai por terra e a população finalmente tem um canal de comunicação que é só dela, feito para ela e que será dela por muitos e muitos anos.

Parabéns Twitter, que venha mais 5 anos!


Priscylla Duarte | Jornalista

Direito de resposta à @cabotelecom

terça-feira, 15 de março de 2011

Devido o artigo sobre  O Comportamento de algumas empresas Natalenses no Twitter, recebi o contato de um dos administradores do perfil da Cabo Telecom. Como o objetivo do blog é justamente o debate da comunicação digital, achei interessante o administrador entrar em contato comigo sobre a matéria publicada na última segunda-feira, dia 14/03. Fica o espaço aberto para as outras marcas citadas no post explicarem as suas versões e opiniões à respeito do debate gerado em torno do assunto. Sabemos que as redes sociais estão aí para isso, e fico muito feliz quando vejo esse tipo de movimento acontecendo. Gostaria de deixar a disposição também o meu formspring.me, caso queiram debater o assunto por lá.

Segue o E-mail do Rafael - Administrador do Perfil no Twitter da CaboTelecom de Natal.

Olá Priscylla,

li uma matéria no seu blog de casos de sucesso e fails das empresas natalenses no twitter. Sou um dos responsáveis pelo twitter da @cabotelecom. Não sei se foi você ou algum amigo que teve alguma experiência com nosso twitter, mas afirmo que os casos que identificamos como reclamações procedentes tomamos partido e encaminhamos para resolução.

Existem casos de usuários que fazem a crítica e quando vamos abordar para analisar, o usuário não interage. A atual proposta do twitter não é dar suporte técnico, mas encaminhar para que o setor responsável dê total assistencia. Sempre que localizamos clientes insatisfeitos procuramos identifica-los em nossa base de assinantes e damos um retorno telefonico. As vezes a comunicação ocorre através de DM.


Qualquer dúvida estamos a disposição :)
Rafael Monteiro


Cabo Telecom




Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

O comportamento no Twitter de algumas marcas Natalenses

segunda-feira, 14 de março de 2011


É incrível como as empresas estão utilizando de forma errada as mídias sociais. Infelizmente, por falta de comprometimento dos profissionais que administram essas contas ou por pura falta de boa vontade em responder ou resolver o problema do cliente deles, eles simplesmente ignoram e se envaidecem com alguns elogios dados por outros clientes.


Faz 1 mês, precisamente, que eu venho insistentemente testando esses perfis de marcas no Twitter e a maioria dos perfis estudados estão agindo de maneira errada com relação ao relacionamento com os clientes.

Quero deixar claro que relacionar-se com cliente não é somente retuitar os elogios e desprezar as críticas, muito pelo contrário: Quando por ventura um cliente insatisfeito utilizar a web para demonstrar a sua insatisfação seja pelo produto ou mau-atendimento prestado pelos funcionários da marca, que representam a empresa, por favor, não os deixem de lado achando que fazendo isso vai está tudo bem, por que na verdade só aumentará mais ainda o problema.

Antes de mostrar os cases fails, irei mostrar 03 exemplos bem-sucedidos de bom uso do Twitter empresarial.

Selecionei três empresas Natalenses que utilizam bem as Redes Sociais, em especial o Twitter – Plataforma a qual apliquei o estudo – E esses perfis estão sempre interagindo com o seguidor, seja de forma a proporcionar boa experiência ou simplesmente respondendo as críticas dos mesmos.

@Dc_DonaChica - Perfil relacionado a moda. Sempre responde as @ dos seguidores, dá dicas de moda, promove engajamento entre seguidores e marcas – Nota: ótimo.

@It_Cursos - Perfil relacionado a cursos na área de TI. Sempre presente no Twitter, interagi com o seguidor,responde educadamente a dúvida, sugestão ou crítica do interessado. Promove ações na rede e sempre está online – Nota: Excelente.

@Senacrn - Perfil referente a cursos no estado do Rio Grande do Norte. Age de forma parecida ao perfil da It_Cursos, com exceção para maior interação com o seguidor, eles promovem realmente uma conversa entre marca e aluno – Nota: Acima da expectativa.

Foi necessário falar dos perfis potiguares bem-sucedidos no Twitter, para poder falar de alguns perfis não tão bem administrados na rede. Embora, os administradores pensem que números sejam  importantes, é de suma responsabilidade lembrá-los que o principal objetivo das redes sociais é promover relacionamento entre pessoas e já que as marcas estão presentes na rede, interagindo com pessoas, faz-se necessário lembrar que embora seja uma marca, ela é administrada por alguma/algumas pessoas.

O que me deixa preocupada (não só como estudiosa sobre as redes sociais, mas também como consumidora das marcas aqui citadas) é que são empresas extremamente importantes aqui em Natal, cujo seus idealizadores são pessoas extremamente sociáveis e visionárias, que batalharam muito para levantar essas marcas aqui na cidade e estão correndo o risco de terem suas décadas de trabalho jogadas fora, devido a falta de comprometimento de alguns de seus funcionários. Tenho certeza que essa política de mau-atendimento não é fruto dos donos das marcas aqui citadas, porém é preciso alertá-los para que fiquem atentos aos maus-profissionais que estão sendo colocados em suas empresas e que portanto representam as marcas aqui citadas, a fim de não piorarem a situação que já está um caos, seja online ou off-line.

"Marcas escutem os seus clientes. A Internet é um grande caldeirão onde quem prepara essa sopa são as pessoas e não as empresas, como vocês estão acostumadas".
Priscylla Duarte – Jornalista e Especialista em administração de relacionamentos nas redes sociais.

Segue os perfis:

@Cabotelecom - Não responde as críticas e quando respondem não o faz direito. Dizem que vão averiguar e não dão retorno. O perfil é mais uma forma de fazer propaganda de seus serviços, só isso. Não é um perfil muito sociável.

@Miranda_RN - Os administradores do perfil da Miranda não respondem as criticas - nem como forma de desculpas. Só ficam tuitando ofertas - mas parece um carro de som em plena avenida Rio Branco e é claro: obviamente retuitando os elogios. É preciso deixar claro que quando uma marca não responde os @ dos seus seguidores a sensação que dá é igual ao de falarmos com alguém e a pessoa virar a cara, portanto administradores do perfil da Miranda: Não cometam mais esse erro de deixar os clientes no vácuo, respondam por DM se for o caso, mas respondam! Até hoje eu vejo pessoas reclamando que tentaram falar pelo Twitter, já que nas lojas eles não são bem atendidos e permaneceram sem respostas, me parece que o problema está virando crônico já. A Miranda tem excelentes produtos, é uma excelente instituição, porém está pecando muito na seleção do quadro de funcionários, seja das lojas físicas ou no setor de atendimento online.

@Depilla- Ao que me contam prestam um excelente serviço a sociedade feminina, porém no Twitter deixam muito a desejar. Por exemplo, eu já tentei iniciar 3 vezes uma conversa com essa marca, porém o administrador do perfil não interage de forma alguma. Dá dicas de beleza, promoções e sorteios, é bem movimento o perfil, porém o básico das redes sociais não o faz, não conversa com as pessoas que tentam perguntar algo (ao menos comigo). Mais uma vez aquela mesma sensação de: Ficar falando com o vento.

Todos esses exemplos citados seja os bons cases e os cases Fails são baseados em experiências minhas e de pessoas próximas, que vieram até a mim comentando dos casos e da falta de aproximação das marcas para com esse público. O importante é deixar claro, que para os perfis que cometeram pequenos deslizes no trato com os seus seguidores, ainda dá tempo de remediar o fato e à partir de agora passar a interagir com as pessoas que estão seguindo essas marcas, pois se a pessoa segue-as é por que de alguma forma admiram, seja a empresa ou o produto e não deixem que essa admiração perca o brilho por pura falta de preparo profissional de alguns representantes da marca. #Ficadica!




Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Blog em clima de carnaval!

segunda-feira, 7 de março de 2011



O Blog Tendências de Marketing Digital e Novas Mídias na Web 2.0 entra em clima de carnaval e portanto novos artigos só serão publicados após os festejos do Rei!


Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Como elaborar campanhas para mídias sociais?

domingo, 6 de março de 2011




De fato as redes sociais tem se mostrado ótimas ferramentas para uso em campanhas de divulgação de marcas ou até mesmo publicitárias. A verdade é que a pesar de termos um leque de opções a nosso favor, muitas campanhas não tem a consistência necessária para realmente atingir um bom número de participantes. Por isso, resolvi fazer este post, com 10 dicas valiosas para desenvolver campanhas online, que além de ter uma boa participação do público, traga de fato lucro para o cliente.

10 Dicas para elaborar uma boa campanha em mídias sociais:

Esqueça a forma antiga de solicitar seguidores. De nada adianta ter 1 mil seguidores se eles não interagem com seu cliente.

Não faça sorteios. Tente distribuir os brindes de outra forma – Sugestão: faça um quiz de perguntas sobre a marca e dê o brinde para quem vencer. É muito mais interativo, e quem realmente irá ganhar é quem admira a marca e não quem teve pura sorte.

Estude o seu cliente. Não é por que uma campanha deu certo para um, que necessariamente vai dá certo para outro. 

Promova ações que forcem os participantes a buscar mais informações. Assim, gera uma espécie de disputa entre eles e com isso o boom gerado em torno da ação será bem maior.

Use outros meios para divulgar a ação. A Internet é ótima, mas só a internet não ajuda. Use a publicidade tradicional para divulgar também a publicidade digital e vice-versa. As duas devem andar sempre de mãos dadas e não se degladiado como estamos vendo por aí ( convergência de mídias).

Embora a sua ação esteja se passando no Twitter, não abra mão de torná-la um viral. Promova um vídeo e disponibilize-o via Vimeo ou You Tube e até mesmo através de E - Marketing.

Aceite sugestões dos participantes. Embora você tenha pensando em uma ação de um jeito, nada impede que no decorrer de sua trajetória mude também o objetivo da mesma – Lembre-se que na Internet o fator evolução conta e muito.

Nunca ofereça como prêmio coisas simples.
 
Não obrigue o participante a Seguir ou Retuitar algo para participar. Ninguém é bobo e ele pode seguir o perfil apenas para participar da ação, depois de finalizada, com certeza você perderá seguidores.

10º Lembre-se: A Internet pede interatividade e criatividade. Não use a fórmula da publicidade de TV, rádio ou jornal na Internet, pois não vai funcionar – funciona muito bem para esses veículos, porém na Internet o fato inovação é o primordial.



Priscylla Duarte | Jornalista

Dicas de como usar a ferramenta Twitter

sexta-feira, 4 de março de 2011


  

Pode parecer mentira, mas muitas pessoas ainda não sabem usar muito bem a ferramenta Twitter, e como o objetivo desse blog é informar, entreter e discutir as redes sociais, com ênfase no microblog, preparei esse cantinho para que você aprenda a usar o seu perfil e com isso possa adquirir maior controle e se tornar mais visível na rede. Sim porque muitas vezes não temos muitos seguidores, ou deixamos de usar a ferramenta por não termos habilidade com ela. Mas preparei de forma objetiva alguns pontos importantes para que você se torne um Twittess de presença digital. Vamos lá:

Passo 1: Cadastro
Se cadastrar no Twitter é super rápido, você só precisa escolher um nome de usuário, a senha e o E-mail. Pronto já está fazendo parte do mundo do Twitter.

Passo 2. Adicionar foto e BG

Em configurações você poderá adicionar fotos e Background (papel de parede de sua preferência) basta apenas selecionar em seus documentos, fazer o upload e pronto, já tem a sua identidade.

Passo 3. Entendo os jargões

Followers – Seguidores – Quem está seguindo você
Following – Seguindo – Quem você está seguindo
Unfollow – Deixar de Seguir

Outros pontos importantes:
  • replies, que são as respostas que recebemos de nossos amigos
  • direct messages: são as mensagens ocultas (só o destinatário lê)
  • favorites : tweets que marcamos com estrelas
  • everyone: atualizações de qualquer usuário


Passo 4. Como me comunicar
Para se comunicar com alguém do Twitter você deverá colocar o @ na frente do nome do destinatárioda mensagem. Dessa forma todos os amigos do seu seguidor irão ver a mensagem. Caso queira que somente ele veja a mensagem você deverá enviar um DM (direct mensage).
   Para responder a um twitter e que você não quer que vá para todos os seus amigos        você deverá clicar em Reply to, dessa forma a mensagem vai direto para o seu seguidor e os seus outros seguidores não receberão a mensagem. Para passar uma mensagem a diante você deverá fazer um RT (Retwitter) dessa forma todos os seus seguidores, quem você retuitou e os seguidores dessa pessoa também receberão a mensagem.



Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

O Twitter como formador e manipulador de opinião

quarta-feira, 2 de março de 2011


Como todo veículo de comunicação de massa o poder de formular e manipular conteúdo são características centrais do mass media, e como essa manipulação e formulação de opiniões pode ser observado no Twitter?

Estudando o uso da ferramenta e o público que a utiliza, observamos que no Twitter não existe uma centralização de notícia, o que ocorre é a passagem das mensagens através de RT (Retuites) e de seguidores. No meio Twitter a importância de determinadas notícias se dá primeiramente no divulgador dela – o quanto esse locutor tem de propriedade para divulgar ou opinar sobre determinado assunto, essa credibilidade é alcançada através de publicações relevantes, concisas e perpetuais, sendo notória a participação desses individuo na rede e como isso relevante para os retuites.

Outra forma bastante clara de como se tornar um formador de opinião na rede de microblog’s é direcionar um tema, basicamente temas que gostamos de conversar, que pesquisamos e somos articulosos na hora de discutir sobre esse assunto. Seguindo as pessoas que também compartilham pelo interesse a esse tema, o diálogo e contribuição na rede serão bastante promissores, gerando assim um recurso que resolvi chamar de “colaboração de temas referentes” onde não é necessário ser especialista naquele tema, mas geralmente os participantes entendem e muito sobre o assunto. É o caso de Twitter’s referentes à moda, corridas de fórmula 1 entre outros temas. Geralmente os participantes são curiosos no assunto, porém os post’s são tão ou mais interessantes do que estudiosos e especialistas.

Preparei 5 dicas importantes de comportamento no Twitter que servem para todos os tipos de perfis, após algumas observações e vivencias percebi que seguindo essa linha de presença on line teremos mais chances de sermos “notados”, o objetivo não é ter milhões de seguidores, mas sim ter seguidores que passem a diante a sua mensagem, fato este que, em minha concepção, é o verdadeiro motivo desse site de relacionamento existir. São elas:

1. Mantenha uma linguagem simples e eficaz. Assim será mais fácil criar laços de relacionamentos. Usar palavras muito difíceis dificulta o diálogo. Lembre-se: o objetivo de uma rede social é criar vínculos e não demonstrar quem é que sabe mais ou quem sabe menos. Na Rede todos nós somos iguais.

2. Tente não postar em seqüências. O grande barato do Twitter é tuitar e esperar o seu twitter ser retuitado. Tuitando seguidas vezes você só estará sendo inoportuno e gerando SPAM na time line do seu seguidor. E isso poderá gerar um unfollow e não é isso que queremos.

3. Muito cuidado com os erros de português e palavras digitadas na pressa. Ora, não há necessidade de pressa, estamos nos divertindo e não apostando corrida de rua.

4. Crie uma identidade. Assim você será lembrado por algum bordão, pelo seu BG (Background) ou pelo o seu conteúdo. Mas haja o que houver se destaque.

5. Retuite. Retuitar é uma forma de você mostrar a quem você está seguindo que ela é importante, e mais ainda: Ela escreveu algo bacana e que deve ser passado a diante.

Com essas dicas básicas para iniciar-se no mundo do microblog você conseguirá se destacar e mais ainda se tornará relevante na rede, objetivo de todos os participantes.

Manipulação:

Outro ponto importante no Twitter é a forma de manipulação da notícia. Como já sabemos essa rede social no Brasil, especificamente, é mais utilizada para informar algo que está acontecendo, inclusive essa é a nova pergunta que substituiu à original: o que você está fazendo? Essa manipulação se dá de diversas formas, porém o RT é a mais utilizada. Veja bem, não estamos falando sobre deturpação de notícias, que nada mais é do que: Manipular a notícia de forma a distorcer a informação, dando outro sentido. No caso do Twitter a manipulação que estamos analisando é a forma de manipular a fim de retransmiti-la. Quando retuitamos alguma informação, muitas vezes temos que reeditá-las e nessas reedições precisamos dizer o que já estava sendo dito, porém com muito menos palavras para obedecer aos 140 caracteres do Twitter, essa é a forma de manipulação que estamos falando. Com o objetivo de passar a informação à diante.

Nunca distorcendo o fato e sempre colaborando. 

Outra forma bastante encontrada de manipulação no Twitter é os #Fail, essa hashtag é uma forma de dizer que aquele perfil não é o verdadeiro, esse tipo de tag é muito usado para perfis não oficiais de artistas, celebridades, políticos ou campanhas. Alias usar o # antes de qualquer palavra indexará essa palavra no sistema de buscas do Twitter e assim acharemos mais rápido determinado Tópico, trend ou post. Por isso quando digitamos: #Priscylladuarte consultora em conteúdo Web e redes sociais, estamos dando ênfase ao nome da consultora e lançando esse nome para o sistema de buscas, todos os trends e tópicos com essa hashtag serão linkados e ao procurar por #Priscylladuarte será mais fácil de encontrar.

Outra forma bastante usada desse tipo de ferramenta do Twitter é em ações de marketing digital ou campanhas online, um case bastante discutido em alguns blogs foi o #bemmisteriosa que foi lançado no Twitter, esse case demonstrou também a imaturidade em lidar com ações em redes sociais, uma vez que essa campanha especificamente demorou dias para dizer quem seria a “bem misteriosa”, e para falar a verdade não acompanhei até o final, uma vez que ações em redes devem durar horas e não dias, como foi o caso.

Dando sentido contrário a essa hashtag, foi lançada a tag #bemmisteriosafail onde os participantes do Twitter, muitos criativos, inventaram uma forma de se divertirem e criticarem o case de origem. Mas a diante iremos citar alguns cases de sucessos e fracassos no Twitter para que fique bem claro como devemos usar essa ferramenta de forma organizacional, simples e objetiva em nossas campanhas digitais.


Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Como usar o Twitter no jornalismo

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011


O Twitter para jornalistas


Como percebemos o Twitter possui uma característica básica e fundamental – O espaço para divulgação em tempo real de um fato ou noticia e permite aos meios jornalísticos uma forma a mais de divulgação de matéria, furos jornalísticos ou utilidade pública.

 E essa é uma forma bastante inteligente de usar esse meio. Em 2009, com a morte do astro Pop Michael Jackson, o Twitter se monstrou uma ótima ferramenta de comunicação e veiculação de fatos daquele acontecimento. Foi a partir dessas mensagens instantâneas que se abriu precedente para um novo veiculo de comunicação – Rápido, que atingia uma grande massa e principalmente obtinha a credibilidade do público.

O cantor Michael Jackson como sempre fazendo moda e abrindo referência, foi a partir de sua morte que grandes veículos de comunicação abriram os olhos para o poder de disseminação viral do Twitter, a partir de então, diversos perfis que ainda não faziam parte da rede de microblogs passaram a fazer, e com isso abriram-se leques de oportunidades para a comunicação social. Além dessa característica forte que o Twitter tem para o lado jornalístico, ele também tem para o lado publicitário, porém de uma forma mais voltada para campanhas. Isso iremos abordar em outro momento.



Dicas de como usar o Twitter:

Abaixo segue 20 dicas elencadas pela IAB-UK para usar o Twitter como forma de agregador de conteúdo jornalístico ou empresarial:


1. Por quê usar? Por que todo mundo está usando ou por que vai ser acrescentado ao seu mix de comunicação?

2. Quais seus objetivos? Seja claro em todos os passos de sua estratégia.

3. Reclame seu espaço o quanto antes. Um consumidor despreocupado pode estar falando em seu nome, sem que você tenha qualquer controle.

4. Certifique-se de que sua comunicação é decente, legal, honesta e confiável. Transparência, acima de tudo.

5. Não encha sua audiência com atualizações constantes. Terá alguém insatisfeito, em vez de engajado, do outro lado do micro.

6. Aloque os recursos necessários. Manter um Twitter não é tarefa de 5 minutos.

7. Estabeleça um tom de voz (linguagem) apropriado ao seu produto e público. Não se esqueça que é a SUA marca falando para pessoas de verdade.

8. Como medir o sucesso? Pense sobre suas métricas. É suficiente um bom número de seguidores se eles não são engajados?

9. Twitter é imediato. Então, faça com que suas atualizações sejam relevantes, tópicas e inspiradas para seu público.

10. Não direcione seu vagão nos Trending Topics. Aprenda as lições do seu ambiente.

11. Se foca em acréscimo de vendas, torne fácil o processo. Dê vales ou códigos de desconto aos seguidores.

12. Configure um feed dedicado para as atualizações sobre seus produtos específicos, serviços e incentivos.

13. Responda suas mensagens diretas. Especialmente daqueles interessados em saber mais sobre você.

14. Twitter não é um canal de transmissão, apenas. Encoraje a interação. Faça perguntas aos seus seguidores.

15. Abrace a retuitada. Se vê um post que pode interessar a sua audiência, não tenha medo de passar adiante.

16. Não se intimide com as críticas. Por que não contatar usuários descontentes diretamente para resolver estas questões?

17. Monitore o que dizem ao seu respeito. Verifique regularmente ferramentas como o Tweetdeck, que permite acompanhar palavras específicas ditas no Twitter.

18. Encoraja a interação offline. Eventos no mundo real para conhecer seus seguidores é uma boa alternativa.

19. Promova seu Twitter. Não espere que achem sua marca. Divulgue o fato de que sua marca usa a ferramenta.

20. Inovar sempre. Quem quer que você seja 100 seguidores não é o suficiente. Use sua imaginação para atrair sempre mais.

E você, que outras dicas podem dar sobre o Twitter, numa estratégia bem sucedida?



Priscylla Duarte | Jornalista
@priscylladuarte

Ocorreu um erro neste gadget